Cia de Ballet.png

CIA DE BALLET

1997

Primeiro espetáculo do grupo, o qual deu origem ao seu nome. O espetáculo caracterizou o trabalho da dupla dentro da comicidade física e do humor sem palavras.  

a larte 4.jpg

à lA CARTE

2001

Primeiro espetáculo de sala do grupo. Uma homenagem à clássica arte do palhaço, dirigida pelo italiano Leris Colombaioni, descendente de tradicional família circense europeia. Experiência determinante na consolidação do trabalho do LaMínima até hoje circulando pelos palcos e lonas.   

04_LunaParke_04 copiar.jpg

LUNA PARKE

2002

Apresentado ainda hoje em espaços abertos e fechados, o espetáculo celebra um parque ambulante, apresentando aos visitantes um acervo com as mais fantásticas atrações: “Monga a Mulher Gorila”, “Johnny o Homem – Bala” e muitas outras surpresas, todas patrocinadas pelo poderoso “Elixir Luna Parke, a vida num instante!”   

06_Piratas_02_edited.jpg

PIRATAS DO TIETÊ - O FILME

2003

O espetáculo propunha um teatro contundente e subversivo, ousado e criativo, criando assim um elo de comunicação com seu público. Uma alegoria dos excluídos das grandes metrópoles.  

08_Super-Herois_06.jpg

A VERDADEIRA HISTÓRIA DOS SUPER-HERÓIS

2004

O foco do espetáculo estava voltado ao aprimoramento do jogo cênico da dupla e sua dinâmica no palco.  

tumbr Feia.png

FEIA

2006

O espetáculo marcou uma nova fase da trajetória do LaMínima. Na sequência do lançamento do Circo Zanni, este projeto nasceu com o objetivo de recuperar a importância dos circos pequenos e médios dentro da vida cultural das cidades.   

reprise 1.png

REPRISE

2007

Este espetáculo apresentava as principais técnicas de palhaço e as características fundamentais da comicidade desenvolvidas durante 10 anos pelo LaMínima: a comédia física e a tradição oral circense.    

palhacos mudos 1.png

A NOITE DOS PALHAÇOS MUDOS

2008

O embate entre o conservadorismo intolerante e o arquétipo do palhaço através de nova parceria com Laerte. Apresentado até hoje, a montagem traz simbolismos e sutilezas poéticas que sustentam a comicidade sem o recurso da fala.   

repertorio3.jpg

O MÉDICO E OS MONSTROS

2008

Em sua primeira adaptação literária em onze anos de trajetória, o LaMínima faz uma reflexão sobre seu próprio processo de criação, buscando através da linguagem do palhaço e do artista popular, encontrar o caminho cômico de um clássico secular do suspense.  

radio 1.jpg

RÁDIO VARIÉTÉ

2010

Neste retorno aos espetáculos de rua, o foco voltou-se para o palhaço brasileiro e para o teatro de variedades. Ainda em atividade em espaços abertos e fechados, Rádio Varieté é uma celebração à alegria do humor popular, resultado de uma ampla pesquisa sobre técnicas e repertório do palhaço brasileiro, aplicados ao circo e ao teatro de variedades.   

14_Athletis_01%20copiar_edited.jpg

ATHLETIS

2011

O espetáculo é, antes de tudo, uma homenagem aos tempos em que o prazer do esporte era o jogo. Voltada para todos os públicos, livremente inspirado na vida e pensamentos do francês Pierre de Fredy, o Barão de Coubertin.  

1.jpg

MISTERO BUFFO

2012

Para comemorar os 15 primeiros anos da companhia, o LaMínima apresenta a obra prima do único Prêmio Nobel que também é palhaço: Dario Fo.  

16-Classificados_09 copiar.jpg

CLASSIFICADOS

2014

Comédia infantil que homenageia todos os artistas - humanos ou não - que fazem de tudo para colocar mais alegria no mundo.  

18-Pagliacci_12 copiar.jpg

PAGLIACCI

2017

Adaptação do entrecho básico da ópera “I Pagliacci”, de Ruggero Leoncavallo. Espetáculo criado especialmente para comemorar os 20 anos do Grupo LaMínima em 2017.  

ORDINÁRIOS_Crédito_CarlosGueller_DSC_269

ORDINÁRIOS

2018

Mas, afinal, quem é adequado para a guerra?  

10.jpg

circo charanga

2020

Para este espetáculo, revisitamos esquetes escolhidas e contadas especialmente para nós por artistas que são referência na palhaçaria brasileira. De técnicas, nos aprofundamos na manipulação de chapéus e em novos exercícios de acrobacia. Da música, retomamos o estudo do piano de garrafa e encaramos um trio de sopros, formando nossa charanga.