TRAJETÓRIA

Domingos Montagner e Fernando Sampaio conheceram-se no Circo Escola Picadeiro em São Paulo, onde iniciaram a dupla de palhaços. Ali criaram e levaram às ruas, reprises, entradas e outros números circenses, desenvolvidos sob a orientação do Mestre Roger Avanzi, o Palhaço Picolino. Em 1997, criam o Grupo LaMínima, com a estreia do espetáculo “LaMínima Cia. de Ballet”, baseada no humor físico e nas clássicas paródias acrobáticas.

Desde então, o circo e a arte do palhaço de picadeiro conduzem o trabalho da companhia que totaliza 16 espetáculos, como: À La Carte (2001); Piratas do Tietê, o filme (2003); Reprise (2007); A Noite dos Palhaços Mudos (2008), inspirada em HQ de Laerte; O médico e os monstros (2008); Rádio Variété (2010) - espetáculo que marca, também, a entrada do artista Filipe Bregantim na companhia; Mistero Buffo (2012), de Dario Fo., tradução e direção de Neyde Veneziano, espetáculo que concretiza a entrada do ator, palhaço e músico Fernando Paz no LaMínima; o infantil Classificados (2014) de Paulo Rogério Lopes e direção de Domingos Montagner; Pagliacci (2017), adaptação de Luís Alberto de Abreu e direção de Chico Pelúcio; e Ordinários (2018), retomando a parceira com o diretor Alvaro Assad e dramaturgia de Newtom Moreno. A companhia possui também ampla trajetória em festivais de teatro e circo nacionais e internacionais como: Festival de Curitiba,mostra oficial (2000); 23º Festival Mundial de Circo de Demain - Paris (2002); Teatralia – Madrid (2002); 21º Festival Internacional Teatro a Mil – Fitam – Chile (2004); Festclown de Brasília (2006 e 2009, 2011, 2013 e 2015); Festival Internacional
de circo do Brasil (2001, 2003, 2012, 2015, 2018), entre outros.

01_CiaBallet_02 copiar.jpg
DSC_5049.JPG

Dentre os principais prêmios recebidos estão: Prêmio Governador do estado de São Paulo para a cultura categoria Circo (2018); 30º Prêmio Shell de Teatro categoria melhor música (2018) por Pagliacci; melhor direção no Prêmio do Humor Rio 2018, por Pagliacci; Prêmio Shell de Teatro/SP, melhor ator para Domingos Montagner e Fernando Sampaio; Prêmio de Melhor
Espetáculo de Sala Convencional e melhor elenco através do Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro 2008, ambos por A noite dos palhaços mudos; dois APCA: melhor espetáculo infanto juvenil, por Piratas do Tietê ,o filme e melhor espetáculo com técnicas circenses, por À La Carte; Prêmio Coca Cola Femsa na categoria especial pela valorização de números circenses de humor
físico de 2007, por Reprise.

Atualmente os artistas Fernando Sampaio, Fernando Paz, Filipe Bregantim e Luciana Lima, compõem o núcleo da companhia LaMínima participando de todos os espetáculos, criações e projetos do grupo.

RIC_8507 copiar.jpg

DOMINGOS

MONTAGNER

No ano de 2016 a dupla de palhaços Agenor e Padoca não existiria mais. Domingos Montagner saiu de cena, deixando um grandioso legado e um exemplo de generosidade como artista e ser humano.

Continuidade

Para nós, a arte da palhaçaria é uma expressão perfeita para o depoimento artístico, e o palhaço, um autêntico interlocutor do ser humano, trazendo humor para a interpretação de sua insensatez.

Teatro é encontro, e o burburinho e a risada do público são música para os nossos ouvidos.

 

Mas silêncio também é música. E quando a plateia está em silêncio (se não for o espectador dormindo) estamos construindo com ela um pensamento que, se tudo der certo, vai explodir em riso. Porque palhaçaria sem riso não é palhaçaria, e o riso, com o pensamento, está em boa companhia.

 

Se além de divertir e fazer pensar, conseguirmos comover, estaremos mexendo com o espectador por inteiro. Conjugando razão e sentimento num olhar bem-humorado sobre o ser humano e o mundo.

03.jpg